• Casa Azul Ventures

Um Manifesto às Startups do Ceará (4/5) - Os Investidores

Texto por Maurício Cardoso


Precisamos aumentar o fluxo de investimentos, HOJE!


Mesmo com o pouco que conheço no mercado, uma das coisas que fica claro evidenciar é que onde existem recursos para financiar o empreendedorismo e startups a velocidade de desenvolvimento e crescimento na inovação, geração de unicórnios e surgimento de empreendedores de sucesso é muito maior.


Sempre existirá uma discussão de "ovo-ou-galinha", onde agora o questionamento se torna "devemos investir para ter startups mais preparadas" ou "devemos ter startups mais preparadas para investir"? Eu, honestamente não tenho uma resposta. Mas sei que ambos elementos (investimento e desenvolvimento de startups) estão fortemente conectados, e precisamos evoluir, nos dois.


O investimento em Venture Capital se tornou uma opção fortemente discutida com o ambiente (econômico e social) estabelecido. Mas muitos investidores estão entrando no mercado com uma investores de Private Equity ou, pior, investimentos em fundos acionários.


O termo "venture", em sua literal tradução, remete ao termo "risco". E, aparentemente, muitos investidores ainda não conseguem assumir esse risco quando buscam startups. Alguns comportamentos precisam ser discutidos no ambiente de startups, eis alguns que gosto de falar sempre:

  • Investidores buscam se apegar em algo que possa ser seguro, e à primeira vista, o que costumam materializar é um MVP, vendas ou receita. Isso, de fato traz segurança para materializar a evolução de um produto, mas não é a unica forma de ter segurança. O que evidencia esse comportamento é o alto volume de investimentos Seeds e baixo volume de investimentos anjo ou pre-seed. Investidores precisam entender que no universo de Startups, crescimento, pivotagem, tração e produto são questões muito voláteis e podem mudar muito rapidamente (na busca da escala). Em momentos de mudança, que é muito comum, conhecer a trajetória do empreendedor, currículo, competência da equipe contratada, capacidade de motivar stakeholders, são fatores que dão muito mais segurança do que saber se o MVP já tem receita ou não.

  • Investidores costumam apostar mais em negócios do que em empreendedores. Alguns investidores tentam projetar seus desejos de empreender, buscando investir onde tem afinidade ou apenas onde "vê futuro no negócio". Já vi negócios surpreendentes falirem por desmotivação do empreendedor, e negócios "ordinários", por vezes copia do que existe, mas com um empreendor que transforma esse negócio em algo de muito sucesso.

  • Investidores devem pressionar o empreendedor como elemento estratégico para crescimento. Empreendedores por vezes se vêem só na jornada, e um investidor pode ser um ótimo gatilho para cobrar resultados, gestão e entrega do que foi prometido. Mas tudo na intensidade adequada, pois investidor que entra muito no negócio também pode desmotivar o empreendedor. A melhor equação está no equilíbrio, e cada empreendedor tem seu modus operandi. Nesses casos, a experiência conta muito.

  • Investidores devem, afinal, INVESTIR. Não é porque está com capital disponível que será balançar o dinheiro pra cima que terá 50 startups fazendo pitch na sua sala de reunião no outro dia. Investidores precisam se relacionar com o ecossistema, participar de eventos, diversificar investimentos (em produtos, tecnologia, formação, pessoas, etc), entender de pessoas e saber quando entrar (ou sair). Isso consome tempo e em muitos casos esse recurso (tempo) é o mais escasso para o investidor.


Mas não vejo esses comportamentos como problemáticos, eles são só reflexo de uma mudança repentina do tipo de investimento que os investidores estavam acostumados a fazer.


E vejo caminhos que podem ajudar:


_ Invista com um fundo: isso facilita muito o trabalho e reduz o esforço para apoiar startups.

_ Invista com outros investidores: outros investidores são as melhores conexões que podem fazer para aprenderem, co-investirem, diminuirem risco e se ajudarem.

_ Invista em quem está fazendo (e não falando): resultados falam muito mais que um pitch elegante.

_ Conecte-se com (muitas) pessoas: conheça pessoas, sem distinção de público ou perfil. Veja quem faz e o que faz em outros setores e mercados. Não se limite à sua tese. Por vezes, um investimento estratégico pode pivotar (com sucesso) uma startup estagnada.

_ Converse com o ecossistema: é preciso conhecer o histórico dos empreendedores. E o ecossistema (universidades, aceleradoras, hubs, programas de startups, etc) pode ter informações que facilitem muito a tomada de decisão do investidor. E tais instituições tem total interesse em colaborar pelo bom desenvolvimento de startups e retorno dos investidores.


Por fim, investidores são essenciais para o crescimento do ecossistema, sendo o elemento que permite startups e empreendedores andarem muito mais rápido do que poderiam ir. Quanto mais motivados estiverem para investir, maior será o crescimento


Investidores, se motivaram? Pelo sim ou pelo não ... quer conversar? Me encontrem: mauricio.cardoso@casaazul.vc

30 visualizações0 comentário